Você conhece um paraíso na Terra? Ah!! Eu conheço CINCO…

UAUUU!!! Cinque Terre é puro AMOR, são cinco pequenos paraísos no noroeste da lindíssima Itália na região da Ligúria. Os cinco vilarejos costeiros são banhados pelo Mar azul turquesa do Mediterrâneo: Monterosso al Mare, Venazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore. Os vilarejos são interligados por uma antiga trilha com vistas espetaculares da costa rochosa e de seus vinhedos em terraços que produzem vinho branco seco Cinque Terre e também, plantações de oliveiras que resultam em maravilhosos azeites artesanais.

Há ainda alguma dúvida que vale a pena conhecer esse lugarzinho? Então, venha comigo e curta cada pedacinho desse céu na Terra.
cinque-terre

Então, ficaram curiosos e querem viajar com o namorado, marido, namorido ou um amigo? Pudera! Eu fui com meu marido em lua de mel, ah! Que delícia! Quando você decidir viajar pra lá é importante saber algumas informações práticas para aproveitar ao máximo sua viagem:

Ingresso para o Parque: meninos e meninas, atenção! Cinque Terre é um parque Nacional protegido desde 1999 (o território se estende de la Spezia a Monterosso) e em 1997 foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Recomendo comprar o 5 Terre Card (€ 5), com validade de um dia com o direto a locomoção de ônibus das estações de trens até os centros dos vilarejos e o  5 Terre Card Train (€ 10) que dá o direito a transporte ilimitado de trem entre La Spezia, as Cinque Terre e Levanto. Os cartões podem ser comprados nas estações de La Spezia, Levanto e nas Cinque Terre.

la-spezia

Cinque Terre Card Train.

Hospedagem: Hospedei-me em um charmoso Bed and Breakfast http://www.bebmaree.it em La Spezia (cidade maior a sul dos 5 vilarejos), para quem não sabe são acomodações com carinha de pousada, no check in a proprietária te entrega a chave do quarto e da porta principal, tiveram serviços normais de um hotel, café da manhã, toalhas trocadas, quarto arrumado e cheio de mimos na cabeceira da cama (velinhas cheirosas, água quente para o chá e cappuccino, chinelo atoalhado e saches em formato de coração espalhados pelo quarto), estava extremamente limpo, com um café da manhã simples mas delicioso com brioche de chocolate que derretia na boca (o nosso croiassant, opa! dos franceses né?). Ficamos dois dias e pagamos R$ 387 a diária. Outra opção é se hospedar em um dos cincos vilarejos, mas as diárias costumam ser mais salgadinhas, mas vale muito a pena o din din gasto por lá!

Transporte e Distância: existem diversas possibilidades de chegar às Cinque Terre, de carro, ônibus, trem ou avião, fomos de trem regional, foi uma viagem super tranquila e deliciosa, com lindas paisagens italianas, nós levamos cerca de 3 horas de viagem de Modena a La Spezia. Monterrosso o primeiro vilarejo está a 14 minutos de trem de La Spezia e os demais ficam em média 5 minutos entre si. Também é possível chegar aos vilarejos de carro, pois são interligados por uma estrada que passa no alto da montanha, Monterrosso está a 33 km de La Spezia.

la-spezia_escrita

O hotel que nos hospedamos fica em frente a “Piazza Del Mercato” uma praça coberta com uma linda arquitetura que abriga uma feira livre todos os dias pela manhã. Adorei o final de tarde em La Spezia, porque é bem agitadinho pelos estudantes italianos, os bares do centrinho e as escadarias sempre tem uma boa conversa entre amigos e bebidinhas na mão.

Agora vou te apresentar um pedacinho do céu, vamos?

1º Vilarejo – Monterosso al Mare (maior vilarejo e mais praiano)

O primeiro vilarejo que visitamos foi Monterosso al Mare, localizado no extremo norte do parque, fizemos os cinco vilarejos de trem porque algumas trilhas estavam interditadas para manutenção (desmoronamento de rochas) Uiiii que medo!!!

A manhã estava fresquinha, mas a água estava azul turquesa, Ai ai…só de lembrar me dá uma saudade!  O vilarejo é o maior dos cinco e se resume a orla e mais algumas ruas bem encostadinhas nos terraços rochosos com plantações de uvas e oliveiras. A praia é calma, extensa com restaurantes e cafés no calçadão, a arquitetura é mais modernas em relação ao centrinho onde se localiza a Chiesa di San Francesco (igreja de São Francisco) com histórias e arte antiga que vale muito a pena visitar.

Outros pontos turísticos que vale conhecer pela beleza são: as Ruínas do Castello Obertengo, a Colina de São Cristóvão (San Cristoforo) e a lindíssima Torre Aurora.

monterosso_figura

Vista geral da praia de Monterosso al Mare, restaurantes, turistas e estação ferroviária.

monterosso_figura2

Os turistas contemplando as belezas construídas em Monterosso al Mare.

2 º Vilarejo – Vernazza (mais encantador pela beleza de sua gente)

O vilarejo de Vernazza está um pouquinho mais baixo na encosta rochosa em relação à Monterosso, esse foi o meu segundo vilarejo preferido, porque? Porque me encantei com o porto e os barquinhos coloridos ancorados, tinha sempre um pescador local nos cantinhos das rochas tentando fisgar o almoço rodeado de pássaros esperando uma boquinha e claro turistas…turistas…e mais turistas tentando fotografar a tranquilidade da vida em Vernazza.

Vernazza se esconde numa curva do mar em uma baía bem pequena com algumas riquezas das artes italianas, tais como: a torre do Castelo dos Doria, Chiesa di Santa Margherita de 1318 e o Santuario di Nostra Signora di Reggioda. A praça central também é um doce com acesso a um emaranhado de ruelas e casas conjugadas com vista para o mar azul.

vernazza3

Vernazza é o vilarejo com mais opções de restaurantes, lojinhas de doces, conservas, vinhos e azeites artesanais.

vernazza_2

Para amantes e estudiosos das rochas, Vernazza é um lugarzinho cheio de surpresas.

3 º Vilarejo – Corniglia (Deslumbrante a vista do mar mediterrâneo)

Corniglia é um vilarejo de origem romana localizado no cume dos terraços rochosos de Cinque Terre, então meninos e meninas, preparem o tênis, boné, muita água e disposição para a subida de 400 degraus da estação ferroviária até o centro. Tem um ônibus que passa a cada 30 minutos, mas adivinhem? Quando chegamos ele havia acabado e passar. Mas calma! Recomendo muito a subida pela escadaria, tem uma vista incrível do mar e dos terraços onde os pequenos agricultores da região plantam suas uvas, oliveiras e limões sicilianos.  Este vilarejo é diferente dos demais por não ter contato com água do mar, mas todas as casas da via Fieschi, rua principal, foram construídas com vista para o mar e também podemos avistar todos os outros quatro vilarejos.

corniglia

Vista da escadaria, estação ferroviária, mar e plantações agrícolas.

corniglia-2

Vista da estação ferroviária.

corniglia3

Pequena quitanda com frutas frescas e um restaurante super charmoso.

4 º Vilarejo – Manarola (singela e aconchegante)

Manarola pode ser a mais antiga das cidades em Cinque Terre, com a pedra fundamental da igreja, San Lorenzo, datada de 1338.  O vilarejo mantém as características das demais vilas com casinhas coloridas incrustadas nas rochas e um porto bem pequeno com apenas uma rampa singela para a subida dos barcos de pescadores locais.

manarola

Vista das casinhas coloridas, pequeno porto e a Via Dell’Amore sentido Riomaggiore (e euzinha lá no fundo toda feliz kkkk!)

Na rua principal chamada de Via di Mezzo, você encontrará o movimento da cidade, as lojinhas, restaurantes e diversas opções para turistas. Em Manarola possui a Via Dell’Amore que é um caminho para pedestre no penhasco das rochas do mar Mediterrâneo que liga o próximo vilarejo Riomaggiore no sentido leste.

Outros bonitos pontos turísticos para conhecer são: Praça da Igreja, Oratório del Disciplinati, Torre dos Sinos e as pirâmides brancas de concreto sobre as casas (sinalização para os trabalhadores do mar).

Ficamos até anoitecer em Manarola e caminhamos pelas ruelas quando fomos surpreendidos no alto da encosta rochosa por muitos anjinhos iluminados tornando a nossa noite muito mais especial.

manarola2

Praça e restaurantes tradicionais bem bonitinhos na rua principal.

5 º Vilarejo – Riomaggiore (Amei…Amei…Amei!!!!!)

UAUUU Riomaggiore!!! o mais lindo dos vilarejos costeiros! Quando eu “acho” que gosto de um lugar, logo de prima, me faço à seguinte pergunta: Você passaria pelo menos um ano de sua vida residindo neste local? Se a resposta for sim é porque eu amei o lugar! Depois de um dia inteirinho conhecendo cada buraquinho, cada pedrinha da vila mais populosa de Cinque Terre (aproximadamente 2 mil habitantes) o que mais me marcou foi o som do mar na praia, não são areias como as nossas praias brasileiras,  são seixos, e quando a água retorna para o mar faz um som muito alto de rochas batendo em rochas (confesso que fiquei assustada no inicio) mas depois fiquei um tempo por ali relaxando e sentindo a energia de tudo aquilo ao meu redor, o azul do mar, o verde da mata e a solidez das rochas. Eu, “Condessa” totalmente Urbana, tenho a certeza que jamais me esquecerei deste lugar tão verdadeiro e puro.

riomaggiore6

Praia de seixos e barquinhos de pescadores espalhados por toda a costa do vilarejo.

Se você for para Riomaggiore é obrigatório conhecer “O Caminho do Amor”. Na estação ferroviária de Riomaggiore tem algumas placas indicando o início da Via Dell’Amore, que foi construída em 1920 para auxiliar as obras da construção do túnel do trem. Via Dell’Amore é um caminho de pura paixão, construído no penhasco entre Manarola e Riomaggiore. Em 20 minutos você faz todo o trajeto, mas levamos uma hora, pois ficamos apreciando a vista do mar azul de doer os olhos, os cadeados deixados pelos amantes por todo o caminho e lendo os recadinhos de amor no paredão rochoso (não faça isso, degradação ambiental kkkk). Portanto, atenção! Aí vai uma valiosa dica: Não esqueça seu cadeado, faça um pedido e jogue a chave no mar, diz a lenda que o casal que passa pela Via Dell’Amore e faz o ritual nunca mais se separará e os pombinhos serão felizes para sempre. Ai…ai…quanto amor!! Claro que levei o meu cadeadinho, né?

riomaggiore

Via Dell’Amore e a crença dos apaixonados.

A cidade fica toda espremida no penhasco rochoso com escadarias e túneis pra lá e pra cá, muitas vielas e casinhas coloridas ligadas entre si. Tem o porto principal cheio de barquinhos atracados que dão um charme todo especial a esse lugar mágico.

A manhã estava geladinha e decidimos tomar um cafezinho, um “caputo” (capuccino) com brioches de chocolate (meu preferido) no mezanino de um barzinho (Bar Vini) pertinho da estação, do outro lado era possível observar o penhasco e uma vista maravilhosa do mar e do túnel do trem, só por este momento já tinha sido válido a viagem para Cinque Terre… por isso e outras eu amo Riomaggiore!

riomaggiore7

Bares localizados estrategicamente para ver o pôr do sol e barcos chegando a Riomaggiore durante todo o dia.

riomaggiore4

O comércio é cheio de coisinhas gostosas para turistas, muitas frutas frescas, flores, vinhos, cartões postais, docinhos e bolachinhas que dão água na boca.

rimaggiore5

Lindo painel na estação ferroviária, limão siciliano nos quintais das casas e várias igrejas para visitar.

Outros locais legais para visitar com muita história e arte de Riomaggiore são: Chiesa di San Giovanni Battista (1340), Chiesa di Sant’Antonio (centro histórico – século XIII), L’Oratorio dell’Assunta (século XVI), L’Oratorio di San Rocco (1480), Santuario di Nostra Signora di Montenero, Santuario di Nostra Signora della Salute (século XII) e Castello di Riomaggiore (1260).

fim

Pessoas deste mundo azul redondo se joguem e curtam Cinque Terre!

E aí, curtiram Cinque Terre? Qual o seu vilarejo favorito?

Lidi Maretti.